Comissão de Saúde debate situação do quadro funcional da Uncisal

por Comunicação/ALE publicado 20/12/2017 22h58, última modificação 20/12/2017 22h58

A comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Francisco Tenório (PMN), esteve reunida nesta quarta-feira, 20, com o reitor da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), Henrique Costa; o subprocurador-geral do Estado, José Claudio Ataíde, com o subsecretário estadual do Planejamento, Sérgio Figueiredo e com representantes da reserva técnica do último concurso realizado pela Uncisal. Participaram ainda, os deputados Léo Loureiro (PPL) e Jó Pereira (PMDB). Na pauta, a situação do quadro funcional da universidade e abertura de novos leitos na Maternidade Santa Mônica.

O deputado Francisco Tenório explicou o motivo da reunião. “A Uncisal tem uma dificuldade administrativa muito grande no tocante a sua organização funcional de pessoal e nós recebemos algumas reclamações de forma que promovemos essa reunião para encontrarmos alternativas legais de resolver essa situação tanto no tocante a questão de pessoal, quanto ao tempo mínimo de leitos na Maternidade Santa Mônica e em outras unidades hospitalares que são geridas pela universidade”, afirmou.


O deputado informou ainda o que vai acontecer daqui para frente. “A Uncisal já preparou um quantitativo de funcionários necessários e encaminhou a secretaria de Planejamento do Estado que, por sua vez, se comprometeu em fazer este levantamento o mais rápido possível e mandar para a secretaria da Fazenda para fazer estudo de impacto financeiro e ver se está dentro do que diz a Lei de Responsabilidade Fiscal. Em seguida, o processo irá para Procuradoria para ver as questões jurídicas para, logo após, o governador do Estado transformar este processo em um projeto de lei e enviar a Assembleia Legislativa. “Decidimos que vamos acompanhar este tramite burocrático para que o processo ande com a maior brevidade possível”, disse.

O reitor da Uncisal falou da importância da reunião e a necessidade da reestruturação dos cargos funcional da universidade. “Sabemos que estes 26 leitos estão fazendo muita falta na Maternidade Santa Mônica. Se não tivermos nenhuma intercorrência, estamos nos organizando para abrir 20 leitos até sexta-feira desta semana e os outros seis até o final de janeiro. Sobre a reserva técnica, vamos tentar garantir para que eles ocupem os lugares, se necessário, de contratados até evoluir este processo que será transformado em projeto de lei”, disse.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.