Mar Vermelho

por Carlos Villa Verde publicado 22/05/2015 09h41, última modificação 22/05/2015 09h41

O município de Mar Vermelho tem sua origem ligada à história de Coutinho, um viajante que chegou à região por volta de 1800, construiu uma casa e iniciou a criação de gado e o cultivo da terra. Com a chegada de outros moradores, novas casas foram surgindo próximas a uma lagoa, que tinha, em suas margens, muitos pés de gravatás cujas folhas vermelhas caíam e formavam um grande "mar vermelho" na lagoa, dando origem ao nome do município.

A propriedade foi transferida para o alferes Cazuza e, mais tarde, para o major Joaquim Canuto de Albuquerque Maranhão, que, em 1900, instalou o primeiro vapor de algodão. Em pouco tempo, Mar Vermelho transformou-se em núcleo comercial.

Em 1910, foi criada a primeira feira e até 1947 teve um bom movimento. Com a construção da estrada de ferro que passava por Viçosa, os comerciantes expandiram seus negócios e muitos chegaram a fechar lojas em Mar Vermelho, por conta do difícil acesso.

Ainda em 1910, um longo período de chuvas derrubou grande parte das encostas das serras e também da capela. Uma nova matriz só foi construída em 1922. Em 3 de fevereiro de 1962, através da Lei 2.431, Mar Vermelho foi desmembrado de Anadia.

A principal atração do município é o clima serrano, que lhe rendeu a denominação de "Suíça Alagoana". Frio e seco, é aconselhado pelos especialistas como auxiliar no tratamento das doenças do aparelho respiratório. Destaca-se, também, a Lagoa Vermelha, abençoada pelo Cristo Redentor no alto da cidade. As festividades também atraem muitos visitantes, destacando-se: o carnaval, as festas religiosas - incluindo-se a da padroeira, Nossa Senhora da Conceição (8 de dezembro) - além das festas populares tradicionais.