Olho d'Água Grande

por Carlos Villa Verde publicado 22/05/2015 10h37, última modificação 22/05/2015 10h37

Uma vasta planície de terras férteis, possuidora de um olho d'água de grande proporção. Este foi o local onde o povoado começou a se formar, logo depois que a família de Francisco Cordeiro Dantas veio para a região. Essa fonte de água mineral fez com que os moradores vizinhos passassem a chamar o novo povoado de Olho d'Água Grande. 

Ainda hoje a fonte abastece todo o município. Quando pertencia a São Brás, o povoado era conhecido como "Olho d'Água da Abóbora", em razão de, na região, haver muitas plantações de abóbora. A fertilidade das terras contribuía para grandes safras, inclusive de mandioca. Só quando o povoado passou à condição de distrito é que o nome Olho d'Água da Abóbora foi abolido. 

O progresso do distrito interessou a moradores de regiões próximas. Muitos se transferiram para lá, principalmente por causa das terras férteis. Nessa época começou, também, um movimento pela emancipação do distrito. 

Em 1962, através da Lei 2.462, o governador Luiz Cavalcante autorizou a autonomia de Olho d'Água Grande e nomeou Otávio Brito como prefeito. Em 1963, foi eleito João Claudino, um dos líderes do movimento pela emancipação, que contou, ainda, com o esforço de Machado Lobo, João Nascimento Filho, Lindor Santos, João Ferreira Nunes e Gelson Brito. 

Sem pontos turísticos atrativos, o município investe nas duas principais festividades do seu calendário, que movimentam a cidade com muitos visitantes: a festa da Emancipação Política (14 de setembro) e a do padroeiro São José (19 de março).

Dados do Município

Situação Geográfica: Microrregião de Traipu, limites com  Campo Grande, São Brás, Porto Real do Colégio e Traipu. 200 metros acima do nível do mar

Área: 117,006 km²

Clima: Temperado. Máxima de 29° C e mínima de 22° C

População estimada 2014: 5.169 habitantes

Eleitorado: 3.788 eleitores

Prefeita: Maria Suzanice Higino Bahé (PP) (2013-2016)