Poço das Trincheiras

por Comunicação/ALE publicado 27/04/2015 15h53, última modificação 27/04/2015 15h53

Na época da ocupação holandesa no Brasil, chegou a Penedo um fidalgo da corte que havia sido deportado. Ele morou muitos anos com uma filha até o dia em que ela se casou e foi viver perto do rio Ipanema. O sobrenome Wanderley, da filha do fidalgo, constituiu a família que nos dias de hoje ainda tem influência na região. 
Alguns anos depois do casamento, foi morar na localidade João Carlos de Melo que, unindo-se aos Wanderley, teve destacada atuação no desenvolvimento do povoado. A denominação do município vem do fato de ter existido um grande poço - hoje aterrado - próximo ao rio Ipanema. No local foram construídas trincheiras de pedra, para que a população pudesse se defender de um possível ataque holandês. 
A fertilidade das terras e as boas condições de pasto foram suficientes para que inúmeras famílias de outras regiões se transferissem para lá, fazendo crescer o povoado. Na luta pela emancipação de Poço das Trincheiras destaca-se o nome de Osman Medeiros. A Lei 2.100, de 15 de julho de 1958, concedeu autonomia administrativa ao povoado, com território desmembrado de Santana do Ipanema. A instalação oficial aconteceu no dia 20 de janeiro de 1959. 
Apesar de não possuir grandes atrativos naturais, o município de Poço das Trincheiras, revela as características festivas de sua população em uma dupla comemoração, que atrai grande número de visitantes em busca da animação e hospitalidade da cidade: a Festa da Emancipação Política e a do Padroeiro, São Sebastião, comemoradas num único dia (20 de janeiro).


Dados do Município
Situação Geográfica: Microrregião de Santana do Ipanema, limites com Maravilha, Santana do Ipanema e Pernanbuco. 300 metros acima do nível do mar
Área: 283,446 km²
Clima: Temperado. Máxima de 39° C e mínima de 20° C
População estimada 2014: 14.449 habitantes
Eleitorado: 8.425 eleitores
Prefeito: José Gildo Rodrigues Silva (PSC) (2013-2016)