Senador Rui Palmeira

por Comunicação/ALE publicado 27/04/2015 12h24, última modificação 27/04/2015 12h24

Por volta de 1930, Antonio Afonso, vindo de Palmeira dos Índios, instalou uma fábrica de corda na região hoje ocupada pela sede do município de Senador Rui Palmeira. Ele utilizava como matéria-prima o caroá, planta de pouca folhagem que era encontrada com facilidade nos arredores.
Em torno dessa atividade cresceu um reduzido povoado. O início das atividades comerciais apresentando características de feira foi no dia 30 de outubro de 1943, comemorado com a realização da primeira missa.
Em 1945, José Rodrigues Fontes montou um alambique para a produção de cachaça, tornando a localidade conhecida como "Usina". Entretanto, o topônimo "Riacho Grande" acabou prevalecendo para o povoado, em razão do rio que corta o lugar obter, no inverno, razoável largura. 
E foi com esse nome de Riacho Grande, adotado definitivamente pelo missionário e ratificado pela população, que o povoado se desenvolveu chegando ao ponto de tornar sua emancipação um fator natural. Em 1981, através de plebiscito, conseguiu a emancipação política, desvinculando-se de Santana do Ipanema. E como município ganhou novo nome passando a constar no mapa de Alagoas como Senador Rui Palmeira. Uma homenagem feita pelo então governador Guilherme Palmeira a seu pai.
 

Dados do Município
Situação Geográfica: Microrregião de Santana do Ipanema, limites com Santana do Ipanema, Poço das Tincheiras, Maravilha, Canapi, Inhapi, São José da Tapera e Carneiros. 300 metros acima do nível do mar
Área: 342,723 km²
Clima: Quente e seco. Máxima de 39° C e mínima de 20° C
População estimada 2014: 13.839 habitantes
Eleitorado: 7.885 eleitores
Prefeito: João Carlos Rodrigues (PSDB) (2013-2016)