Traipu

por Comunicação/ALE publicado 27/04/2015 12h29, última modificação 27/04/2015 12h29

O significado do nome Traipu tem duas versões: a primeira, quer dizer "muito peixe"; a outra, "Olho d'Água do Monte". No século XVII, porém, o povoado era conhecido por Porto da Folha, nome de uma fazenda do mestre de campo Pedro Gomes. 
Em 1713, a parte norte desta região foi concedida em sesmarias a João Dantas Aranha, Manoel Braz Pedrosa e Caetano Dantas Passos. O documento que eles receberam assegura ter sido exatamente Porto da Folha o nome primitivo do lugar. 
A igreja foi construída para abrigar a imagem de Nossa Senhora do Ó, encontrada por um grupo de garotos nos montes da região. A freguesia, criada em 1714, é uma das mais antigas de Alagoas. Suas ruas, com casarios históricos, lembram as cidades mineiras. Em 1892, transformou-se em cidade. 
A vila foi criada pela resolução 19, de 28 de abril de 1835, desmembrada da Vila Penedo. A resolução previa a construção da Casa da Câmara e da cadeia. Em 1870, o nome foi mudado para Traipu, em razão do desenvolvimento do vilarejo ter acontecido, principalmente, perto da barra do rio São Francisco, que banha o município, dando origem a várias outras cidades. 
O município tem, entre seus atrativos naturais, as margens do rio São Francisco (que os moradores chamam de prainha) e também suas Croas. Entre as festividades que atraem centenas de visitantes à cidade, destacam-se a festa do Bom Jesus dos Navegantes (com a tradicional procissão pelo rio, em fevereiro), o animado carnaval, e a festa da padroeira, Nossa Senhora do Ó (em dezembro).


Dados do Município
Situação Geográfica: Microrregião de Traipu, limites com Belo Monte, Batalha, Jaramataia, Girau do Ponciano, Campo Alegre, Olho d'Água Grande e São Brás. 198 metros acima do nível do mar
Área: 685,779 km²
Clima: Temperado. Máxima de 40° C e mínima de 20º C
População estimada 2014: 27.648 habitantes
Eleitorado: 15.868 eleitores
Prefeita: Maria da Conceição Texeira Tavares (DEM) (2013-2016)