Assembleia sedia lançamento de coletânea do projeto Raízes do Saber

por Comunicação/ALE publicado 10/12/2018 20h09, última modificação 10/12/2018 20h09

Com o apoio da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Assembleia Legislativa, o Instituto Terraviva fez o lançamento da coletânea de livros do projeto Raízes do Saber - Valorização da Pessoa Idosa do Campo. O evento foi realizado na tarde desta segunda-feira, 10, no auditório do Poder Legislativo e contou com a participação do presidente da CDH, deputado Galba Novaes (MDB). O projeto Raízes do Saber teve como finalidade a melhoria da qualidade de vida e o fortalecimento do convívio comunitário de agricultores idosos.

Desenvolvido em nove municípios da Região Agreste até a Bacia Leiteira, o projeto Raízes do Saber envolveu 300 famílias, tendo como foco a inclusão produtiva e a valorização cultural dos saberes e fazeres da pessoa idosa do campo. “Esse projeto visa a valorização da pessoa idosa, que envolve vários municípios alagoanos estabelecendo políticas públicas, fazendo a parte pedagógica”, observou Galba Novaes. “Então nós trouxemos para a Assembleia o encerramento do projeto e o lançamento dos livros sobre o trabalho realizado pelo Instituto Terraviva”, completou o parlamentar.

De acordo com o diretor do Instituto Terraviva, que é uma organização não governamental (ONG), Ricardo Ramalho o projeto Raízes do Saber teve como premissa resgatar e valorizar o que os idosos do campo acumularam, de experiência, ao longo do tempo. “Nas áreas de gastronomia, de parto natural, artesanato, enfim esse conhecimento que a gente perde ao longo do tempo e corre o risco de desaparecer do nosso cotidiano e é tão importante para as nossas vidas”, disse ramalho, informando que o projeto começou em setembro do ano passado. “Porque os idosos, sobretudo urbanos, participam de uma série de programas e atividades governamentais; e o idoso rural é mais isolado, invisível eu diria até, e esse projeto visou traze-los para essas atividades culturais, de inclusão produtiva, de lazer... foram esses os objetivos do projeto”, observou Ramalho, ressaltando que o encerramento do projeto sendo realizado na Casa de Tavares Bastos é de grande importância e representa a necessidade de demonstrar o potencial do seguimento dos idosos. “Sobretudo a necessidade de firmar novas parcerias e trabalhar novos projetos para dar continuidade a esse processo que pretendemos dar continuidade”, completou.

De acordo com, uma das idealizadoras do Projeto Raízes do Saber - Valorização da Pessoa Idosa do Campo e colabora do Instituto Terraviva, Aiodia Cardoso Ramalho a ideia de trabalhar com o idoso do meio rural foi através de uma chamada pública do Conselho Nacional da Pessoa Idosa. A partir daí deram início à execução do projeto, que teve cinco grandes eixos de atuação: trabalhos com a agricultura, através dos quintais agroflorestais e canteiros elevados; com a promoção ao acesso da arte e a cultura; e com os inventários dos saberes e fazeres dos mestres tradicionais. “O resultado desse projeto transformamos em livros para trazer esse resgate e dar a devida importância dessa população que muitas vezes é marginalizada por ser idosa e por ser rural”, contou Aiodia, destacando que as experiências desses idosos deve ser repassada e ter visibilidade.

O evento contou com a participação da presidente do Conselho Municipal do Idoso de Maceió, Evania Titara e da coordenadora Nacional do Movimento Via do Trabalho e presidente da Associação Via Mulher, Sonia Soares.

error while rendering plone.comments