Cabo Bebeto critica decisão do Governo de não aderir ao Programa de Escolas Cívico-Militares

por Comunicação/ALE publicado 08/10/2019 20h37, última modificação 08/10/2019 20h37

A decisão do Governo do Estado de não aderir ao projeto de Escolas Cívico-Militares do Governo Federal, foi tema do pronunciamento do deputado Cabo Bebeto (PSL), que criticou a decisão do secretário de Educação, Luciano Barbosa, durante a sessão ordinária desta terça-feira, 8. Em declaração à imprensa local, Barbosa teria dito que "a pauta de Escolas Cívico-Militares não está inserida nas prioridades para este ano" e que "o foco tem sido na implantação do Novo Ensino Médio e ampliação do Ensino Integral". O prazo para adesão ao programa encerrou-se no último dia 27 de setembro. “Muita gente me procurou nas redes sociais, tristes, porque o Estado não aderiu ao programa, deixando-nos momentaneamente de fora desse projeto”, observou Bebeto.

Para o parlamentar, o Governo do Estado está perdendo uma oportunidade, Cabo Bebeto observa ainda que, não aderindo ao projeto, o Estado tira o direito do alagoano de escolher o tipo de educação que quer para o seu filho. “Estive em junho, em Brasília, para tratar exatamente sobre isso no Ministério da Educação e acabado o prazo a gente termina descobrindo que não era a vontade do Governo do Estado em ter, pelo menos, uma escola Cívico-Militar”, destaca o deputado, que ao prosseguir o pronunciamento, disse entender o posicionamento do secretário Luciano Barbosa no que diz respeito a implantação do Novo Ensino Médio e ampliação do Ensino Integral. “Não queria que o foco fosse esse (escolas Cívico-Militares), mas avalio que deveríamos ter pelo menos uma escola nesse modelo”, observou Bebeto.

Em aparte, o deputado Davi Maia (DEM) se solidarizou com Cabo Bebeto e disse ter estranhado a declaração de Luciano Barbosa. “No dia em que estivemos lá na Seduc, o secretário Luciano Barbosa falou do problema que tem em Arapiraca, porque muita gente quer entrar na escola militar daquele município e ele tem que mudar a maneira de seleção”, contou Maia, acrescentando que o líder do Governo, deputado Sílvio Camelo (PV), o deputado Marcelo Beltrão (MDB) e as deputadas Jó Pereira (MDB) e Cibele Moura (PSDB) estiveram presentes à reunião com Barbosa.

Agentes penitenciários
A situação dos agentes penitenciários, que decidiram, em assembleia geral, não prestar serviços de hora extra, também foi abordada pelo deputado Cabo Bebeto. O parlamentar se solidarizou com os profissionais e disse que a questão está nas mãos do governador. “A partir de amanhã o efetivo estará reduzido, pois não irão mais realizar horas extras. O que eles estão buscando no Estado é a realização de concurso público, inclusive já têm decisão judicial favorável”, disse Bebeto, lembrando que o Governo cortou o pagamento das horas extras dos agentes penitenciários.

error while rendering plone.comments