Cabo Bebeto volta a defender o uso da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19

por Comunicação/ALE publicado 28/05/2020 12h37, última modificação 28/05/2020 12h37

O uso das substâncias cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19 foi novamente defendido pelo deputado Cabo Bebeto (PSL), em pronunciamento durante a sessão ordinária desta quinta-feira, 28. Além disso, Bebeto criticou o Governo do Estado pela falta de estrutura do serviço público de saúde para o atendimento dos infectados com o novo coronavírus. "Já começaram o tratamento com a hidroxicloroquina? Os medicamentos estão sendo utilizados em casos leves, se o médico prescrever? Qual o protocolo para o paciente ter acesso a essa medicação? A Sesau já emitiu nota informando o novo protocolo? Qual o protocolo está sendo utilizado para informar os familiares sobre notícias dos pacientes?", questionou o parlamentar.

Segundo Bebeto, muitas pessoas enviam reclamações, informando que, mesmo com a prescrição médica, o Estado não está entregando o remédio, apesar de o Governo ter dito, reiteradas vezes, que autorizou o uso da medicação. "A Sociedade Alagoana de Infectologia, com todas as suas prerrogativas, adota o argumento de que não se tem eficácia comprovada (no uso da cloroquina), mas vamos deixar as pessoas morrerem sem ao menos tentar salvá-las? É preciso realmente esperar que o quadro se complique para fazer uso da medicação?", incitou, contra-argumentando que também não viu nenhum estudo comprovando que as pessoas estão morrendo devido ao uso da droga.

Estrutura deficiente
O deputado disse que continua recebendo reclamações sobre falta de profissionais, de ambulâncias com oxigênio e de leitos. Ele lembrou o anúncio feito pelo Governo de que o Estado dispunha de 384 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e que havia comprado 50 respiradores através do Consórcio Nordeste, sendo que os mesmos ainda não chegaram. "Depois chegaram 15 respiradores do Governo Federal totalizando 399, além de outros 15 respiradores portáteis para equipar ambulâncias para o transporte dos infectados", disse Bebeto. O parlamentar ressaltou ainda que esteve na cidade de Paulo Jacinto e visitou a obra inacabada de um hospital.

Em aparte o deputado Davi Maia (DEM) disse que comunga com a fala do colega de plenário. "A população está clamando, pedindo ajuda. Estamos há 90 dias do primeiro caso e devíamos ter, pelo menos, um indicativo de ações", observou.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.