Congresso de artesãos discute organização da categoria e promove valorização do artesanato

por Comunicação/ALE publicado 02/06/2017 15h40, última modificação 02/06/2017 15h45

A Casa de Tavares Bastos recebeu na manhã desta sexta-feira, 2, dezenas de artesãos e autoridades para a realização do 1º Congresso Estadual de Artesãos Alagoanos. O encontro, ocorrido no auditório da Assembleia, tem como finalidade discutir a organização da categoria, promover a valorização do artesanato enquanto manifestação popular e eleger os 30 delegados que representarão o Estado no 8º Congresso dos Trabalhadores Artesãos, de 28 a 30 de agosto, no Centro de Convenções de Brasília, no Distrito Federal.

A deputado Jó Pereira (PMDB), integrante da Frente Parlamentar em Defesa do Profissional Artesão – juntamente com os deputados Rodrigo Cunha (PSDB) e Bruno Toledo (PROS) – destacou a importância de se discutir a temática não apenas como alternativa de desenvolvimento econômico, mas também como identificador cultural do Estado. “Acredito que o artesanato, juntamente com o turismo e a agricultura familiar, foram o tripé para o fortalecimento do comércio, da economia local e promove a melhoria da qualidade de vida das pessoas”, disse.

A parlamentar ainda lembrou que tramita na Casa o projeto de lei que institui a Semana Estadual do Artesanato Alagoano, de 19 a 26 de março, e cria o Dia Estadual do Artesão. “Tenho certeza de que faremos a abertura do 2º Congresso Estadual do Artesão Alagoano, no ano que vem, dentro da semana”, ressaltou Jó Pereira.

Para a presidente da Federação das Associações e Cooperativas dos Artesãos do Estado de Alagoas, Lindi Camargos, é necessário fortalecer as políticas públicas do segmento, sobretudo porque Alagoas ocupa posição privilegiada no que diz respeito ao trabalho artesão. “Já andei o Brasil todo, mas não encontrei artesanato como aqui”, disse orgulhosa a presidente, solicitando à 1ª dama do Estado, Renata Calheiros, um olhar especial ao setor, sobretudo na viabilização de um espaço para exposição dos produtos ao turista e uma política de escoamento da produção.

Já a presidente da Confederação Nacional dos Artesãos, Isabel Gonçalves, explicou que o orçamento para o setor é muito pequeno. “Somos uma categoria que luta há 35 anos pelo reconhecimento. Precisamos de que ações sejam revertidas para o segmento, porque Alagoas tem a maior quantidade de tipologia de produção artesanal do Brasil. Outros estados fabricam nosso produto, porque aprenderam conosco”, falou.

Participaram do evento, entre outras autoridades, a primeira-dama de Alagoas, Renata Calheiros, a gerente de Design e Artesanato da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Daniela Vasconcelos; a secretária de Turismo da Barra de São Miguel, Cláudia Pessoa; o prof. Gustavo Madeiro e a coordenadora do curso de artesanato, Ana Cristina, representantes da Ufal; Marina Gatto, analista técnica do Sebrae/AL e Edilucio Nonato, representante da Secretaria de Cultura do Estado.

error while rendering plone.comments